MENU

domingo, 17 de abril de 2016

NINGUÉM FALOU COMO JESUS João 7. 45-52



Int. O capítulo 7 de João começa falando da perseguição sofrida por Jesus que era movida pela inveja dos religiosos da época.
- Os judeus procuravam matá-lo – v.1. Tamanha era a inveja que tinha de Jesus porque ele arrastava multidão por onde passava, estava ganhando o coração do povo.
- Foi criticado pelos seus próprios irmãos - vv. 2-5; Foi criticado dentro de sua própria casa, nem mesmo seus irmãos estavam dispostos a ajuda-lo em sua missão.
Resultado de imagem para jesus agua da vida- As autoridades religiosas tentaram prendê-lo, mas não conseguiram vv. 25,26,30;
- Em seguida eles enviaram guardas para prender Jesus – v.32;
- Depois de algum tempo os guardas voltaram, mas não prenderam Jesus – v. 45;
- A resposta que eles deram às autoridades foi: “Jamais alguém falou como esse homem”.

C.M.O que Jesus falou que deixou estes guardas tão admirados? Que mudou o plano deles?
Eles saíram com o mandato de prisão, e voltaram com o coração quebrantado, transformado.

I. Jesus falou como nenhum outro homem porque as suas palavras vinham de Deus, o Pai vv. 16.17.
1. Eram palavras de vida e esperança; enquanto os religiosos falavam apenas de liturgias, palavras vazias que não atendia a necessidade dos seus ouvintes.
Por isso muitos estavam debandando para seguir a Jesus e abandonando crenças que não produziam vida com Deus.

2. Jesus falava palavras dosadas por amor e compreensão. Jesus falava de maneira que alcançava a pessoa como um todo. Suas palavras curavam as pessoas de seus traumas, decepções, angústias...

3. Eram palavras de graça que trazia esperança, que desafiavam as pessoas a mudar de atitude e a rota de suas vidas.
Os guardas então não puderam prendê-lo porque ao ouvirem suas palavras foram impactados.
 Jesus falou como nenhum outro homem porque ele deseja dar a todos que creem a água da vida – vv. 37,38.
As palavras de Jesus vinham acompanhadas do poder de saciar a sede da alma.

1. No ultimo dia, o grande dia da Festa. Esta festa não era apenas uma lembrança da peregrinação do deserto, mas também uma celebração pela colheita (era realizada entre setembro e outubro). No ultimo dia da festa era realizada uma solene cerimônia de derramamento de água. Um sacerdote enchia uma jarra de ouro com água enquanto as palavras de Isaias 12.3: “vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação” eram repetidas e uma solene procissão seguia então do tanque de Siloé para o templo, e cantavam os salmos do Hallel (113-118). Halel (do hebraico הלל‎, "Louvor") é uma oração judaica baseada em Tehilim (Salmos 113-118), que é utilizada como louvor e agradecimento[1] , recitada pelos judeus nas festividades judaicas.
 Em seguida a água era derramada sobre o sacrifício. No ultimo dia isto era feito sete vezes.

2. Diante deste ritual Jesus oferece a todo que crê a verdadeira água da vida (cf. 4.10).
-Se alguém tem sede – era uma multidão sedenta, vivia apenas de rituais; mas saiam dali vazios, sem vida e sedentos.
- Venha a mim e beba – Jesus convida a todos que tem sede. Sede = necessidade, carência.
“A minha alma tem sede de Deus” (Sl 42.2)
Is 55.1: “Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas...”.
Ap 22.17: “O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça da água da vida”.
Como podemos beber desta água?

3. Quem crê em mim. A fé é indispensável. Para bebermos da água da vida precisamos ter fé.
Hb 11.6: “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que se torna galardoador dos que o busquem”.
- Temos que nos aproximar de Cristo com fé, crendo que Ele é real e que recompensará a todos que o busquem.

- Como diz as Escrituras: Zc 14.18: “correrão de Jerusalém águas vivas”;
Ez 47.9: fala de um rio de água viva.

Do seu interior fluirão rios de água viva. Você se torna um recipiente da graça de Deus. Isto significa que a vida de Deus fluirá dentro da sua.
- No lugar da dúvida, a certeza da vida eterna;
- No lugar do desespero, a tranqüilidade e a paz de Deus;
- No lugar da dor e solidão, a graça e a companhia de Deus;
- No lugar do vazio existencial e emocional, a presença constante do amor de Deus; o que dá sentido à nossa vida. A crise existencial, emocional e espiritual só pode ser resolvida através da água viva que está em Cristo.

Conclusão
Somente Cristo pode dá água viva, a água espiritual, que sacia a nossa sede espiritual e existencial.
Foi isto que Jesus falou, e estas palavras encheram o coração dos guardas de amor, paz e alegria.
Qual é a sua sede? Espiritual? Emocional? Existencial? Jesus lhe convida a vir a ele e beber da água da vida.


PALAVRA DE VIDA