MENU

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

A Sunamita

 II Reis 4:8-37
Uma mulher que em meio a mais terrível dor (morte do filho)  uma grande atitude e fé. A Bíblia sequer menciona o seu nome, apenas chama-a de "sunamita", uma referência a cidade de Suném, onde morava. Suném quer dizer: "lugar de repouso". Localizada a sudeste do mar da Galiléia, entre os montes Gilboa e Tabor, na plA Sunamita de Jezreel é herança da tribo de Isaacar.

O profeta Eliseu exercia seu ministério por lá quando foi notado pela sunamita: "Eis que este é um santo homem de Deus". Uma mulher, de discernimento. Eliseu torna-se hóspede dela. Como forma de retribuição, o profeta quis falar com o rei, a fim de lhe conceder favores. A sunamita, repondeu: "Eu habito no meio de meu povo"(II Reis 4:13).
Ela esta dizendo que não necessitava de mais nada, era feliz por viver naquele lugar.
Mas na verdade tinha um sonho, ser mãe; achava isto impossível por ser estéril e seu marido já era de idade avançada.
Vendo Eliseu que esta mulher amava a Deus e  se preocupava com a obra de Deus, investia no reino, ele orou a Deus para realizar o desenho de seu coração.
Deus, em resposta a oração de Eliseu, realiza o desejo do coração da bondosa mulher. Seu filho já crescido, morre de uma dor de cabeça muito forte. Alguns teólogos, dizem que foi acometido de insolação já que passara muito tempo no campo, segando com o seu pai ( II Rs 4: 18-20)

O que fez a sunamita?
Diante da morte de seu sonho, o que de melhor Deus lhe havia dado, estava morto.
Poderia ela ter se desesperado, esbravejado, abandonado sua fé, mas não fez nada disto.
Ela deitou o menino no quarto de Eliseu, reuniu os empregados, preparou jumentas e foi até o Monte Carmelo ao encontro do profeta.
Teve atitude de vencedor, não ficou parada murmurando ou reclamando, montou em camelo provavelmente e cavalgou por vinte e três quilômetros.
Esforço, determinação, atitude levaram esta mulher a conquistar o impossível para ela e sua casa.
Seu marido estranhou Por que vais a ele hoje? Espere ela aqui na lua nova, ou até o sábado!
 Ele nem imaginou onde chegaria a fé da sunamita.

 Sua resposta beira os limites do incompreensível:
No caminho o discípulo do profeta pergunta: Como vai você, seu marido e seu filho? Tudo vai bem! Quem daria uma resposta desta com o filho morto?
Tudo vai bem Suas atitudes demonstram auto controle, e fé que realmente ficaria tudo bem porque acreditava que Deus estava no controle. Sua alma atribulada, mas sua confiança em alta.

Tão certo como vive o Senhor Deus não te deixarei: Ela agarrou-se ao homem de Deus por que sabia que tem coisas que é pra quem realmente tem intimidade com Deus.
Geazi vai e não deu certo, haverá situações que só mudaram no agarrarmos a oração fervorosa, se vivermos uma vida fervorosa com ele.

Deitou-se sobre o menino: E subiu à cama e deitou-se sobre o menino, e, pondo a sua boca sobre a boca dele, e os seus olhos sobre os olhos dele, e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. 2 Reis 4:34.
Eliseu na verdade só transferiu para o menino aquilo que ele possuía, unção de Deus.
Esta unção produziu vida novamente, nós só podemos dar aquilo que temos dentro de nós, não o que os outros possuem.
Como os filhos de Ceva, que queria transmitir o que Paulo possuía.  At. 19:11-16.

C. esta mulher sunamita viu seu sonho morrer, mas pela atitude correta, ela buscou ajuda no seu mentor, permaneceu firme na sua fé, então pode experimentar mais uma vez o milagre em sua vida.

Deus abençoe sua vida!


Pastor Luciano Silveira

PALAVRA DE VIDA