MENU

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

A Sunamita

 II Reis 4:8-37
Uma mulher que em meio a mais terrível dor (morte do filho)  uma grande atitude e fé. A Bíblia sequer menciona o seu nome, apenas chama-a de "sunamita", uma referência a cidade de Suném, onde morava. Suném quer dizer: "lugar de repouso". Localizada a sudeste do mar da Galiléia, entre os montes Gilboa e Tabor, na plA Sunamita de Jezreel é herança da tribo de Isaacar.

O profeta Eliseu exercia seu ministério por lá quando foi notado pela sunamita: "Eis que este é um santo homem de Deus". Uma mulher, de discernimento. Eliseu torna-se hóspede dela. Como forma de retribuição, o profeta quis falar com o rei, a fim de lhe conceder favores. A sunamita, repondeu: "Eu habito no meio de meu povo"(II Reis 4:13).
Ela esta dizendo que não necessitava de mais nada, era feliz por viver naquele lugar.
Mas na verdade tinha um sonho, ser mãe; achava isto impossível por ser estéril e seu marido já era de idade avançada.
Vendo Eliseu que esta mulher amava a Deus e  se preocupava com a obra de Deus, investia no reino, ele orou a Deus para realizar o desenho de seu coração.
Deus, em resposta a oração de Eliseu, realiza o desejo do coração da bondosa mulher. Seu filho já crescido, morre de uma dor de cabeça muito forte. Alguns teólogos, dizem que foi acometido de insolação já que passara muito tempo no campo, segando com o seu pai ( II Rs 4: 18-20)

O que fez a sunamita?
Diante da morte de seu sonho, o que de melhor Deus lhe havia dado, estava morto.
Poderia ela ter se desesperado, esbravejado, abandonado sua fé, mas não fez nada disto.
Ela deitou o menino no quarto de Eliseu, reuniu os empregados, preparou jumentas e foi até o Monte Carmelo ao encontro do profeta.
Teve atitude de vencedor, não ficou parada murmurando ou reclamando, montou em camelo provavelmente e cavalgou por vinte e três quilômetros.
Esforço, determinação, atitude levaram esta mulher a conquistar o impossível para ela e sua casa.
Seu marido estranhou Por que vais a ele hoje? Espere ela aqui na lua nova, ou até o sábado!
 Ele nem imaginou onde chegaria a fé da sunamita.

 Sua resposta beira os limites do incompreensível:
No caminho o discípulo do profeta pergunta: Como vai você, seu marido e seu filho? Tudo vai bem! Quem daria uma resposta desta com o filho morto?
Tudo vai bem Suas atitudes demonstram auto controle, e fé que realmente ficaria tudo bem porque acreditava que Deus estava no controle. Sua alma atribulada, mas sua confiança em alta.

Tão certo como vive o Senhor Deus não te deixarei: Ela agarrou-se ao homem de Deus por que sabia que tem coisas que é pra quem realmente tem intimidade com Deus.
Geazi vai e não deu certo, haverá situações que só mudaram no agarrarmos a oração fervorosa, se vivermos uma vida fervorosa com ele.

Deitou-se sobre o menino: E subiu à cama e deitou-se sobre o menino, e, pondo a sua boca sobre a boca dele, e os seus olhos sobre os olhos dele, e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. 2 Reis 4:34.
Eliseu na verdade só transferiu para o menino aquilo que ele possuía, unção de Deus.
Esta unção produziu vida novamente, nós só podemos dar aquilo que temos dentro de nós, não o que os outros possuem.
Como os filhos de Ceva, que queria transmitir o que Paulo possuía.  At. 19:11-16.

C. esta mulher sunamita viu seu sonho morrer, mas pela atitude correta, ela buscou ajuda no seu mentor, permaneceu firme na sua fé, então pode experimentar mais uma vez o milagre em sua vida.

Deus abençoe sua vida!


Pastor Luciano Silveira

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Senhor, além de ti não há quem possa socorrer.

 (2 Cr 14.11.)
Int. Todos os reis de Israel e Judá tinham diante de si duas opções: fazer o que era reto aos olhos do Senhor, ou praticar o mau. O rei Asa usou sua inteligência, fez o que era reto e foi muito abençoado por Deus.

C.M. Esta oração de Asa embora pequena, mas nos ensinas algumas lições importantes.
 "Além de ti não há quem possa socorrer".
As desvantagens de Asa eram enormes. Vinham contra ele um milhão de homens, além de trezentos carros. Parecia impossível manter-se de pé contra aquela multidão. Não havia aliados que pudessem vir auxiliá-lo. Sua única esperança, portanto, estava em Deus. Foi assim também quando o profeta Eliseu e seu discípulo foral cercado por um grande exército, eles estavam aparentemente em desvantagem, porém no campo da fé eles estavam em maior número porque o Senhor todo poderoso pelejava por eles. E orou Eliseu, e disse: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu. 2 Reis 6:17
Às vezes Deus permite que as nossas dificuldades cheguem a um tal ponto, que sejamos levados a renunciar a qualquer auxílio humano  a que tenhamos recorrido em provações menos duras para  buscar de novo o Amigo todo-poderoso.
Ponhamos o Senhor entre nós e o inimigo. Para a fé de Asa, era como se Deus estivesse de pé entre ele — que não tinha forças  e o poderio de Zerá.
E não estava enganado. Lemos que os etíopes foram destruídos diante do Senhor e diante do seu exército  como se combatentes celestes estivessem lutando por Israel contra o inimigo e pondo em fuga seu grande exército; de modo que Israel só teve de segui-lo e tomar os despojos. Nosso Deus é Jeová dos exércitos, que, para ajudar Seu povo, pode a qualquer momento convocar reforços inesperados.

Batalha entre fracos e poderosos: Reconhecer nossa fraqueza é o ponto chave para vencermos.
Se de fato reconhecemos que não podemos sozinhos, então não nos resta outra coisa a não ser pedir ajuda ao Deus todo poderoso e confiarmos totalmente na sua providencia.
O inimigo pode ser forte, em maior numero, mas nós confiamos no braço do Senhor e fazemos dele o nosso amparo.

Em ti confiamos: Salmos vinte nos garante que o inimigo se levanta mais vão cair por causa do Senhor todo poderoso.
Enquanto muitos confiam nas suas habilidades, inteligência, nos poderosos, mas nós confiamos no Senhor.
Os filisteus confiavam no braço forte de Golias, Davi confiava no braço do Senhor seu Deus, e mais uma vez a vitória foi do fraco contra o forte.
Creiamos que Ele está ali, entre nós e a dificuldade, creiamos, e então aquilo que está-nos perturbando fugirá diante d’Ele como fogem as nuvens ante o vento forte.


Senhor tú és o nosso Deus: Enquanto o rei Asa permitiu Deus ser o Senhor de sua vida pode desfrutar da vitória extraordinária que vem somente de Deus.
Uma grande pena que este rei que começou tão bem não terminou sua vida da mesma maneira.
Terminou sua vida confiando em sí mesmo, já não era mais aquele homem de fé como no começo.
Foi repreendido pelo profeta mas preferiu seguir seu caminho errado. Naquele mesmo tempo veio Hanani, o vidente, a Asa, rei de Judá, e disse-lhe: Porquanto confiaste no rei da Síria, e não confiaste no Senhor teu Deus, por isso o exército do rei da Síria escapou da tua mão. 2 Crônicas 16:7.
Mandou prender o profeta porque não aceitou suas palavras, seu fim foi muito duro com uma grave enfermidade em seus pés, mas nem assim recorreu a Deus novamente.

C. Precisamos crer até o fim, nossa fé não deve diminuir quando as coisas estão bem, devemos sim reconhecer que tudo vem de Deus.
Ele é um Deus sempre presente seja na angustia ou na alegria, na dificuldade ou na vitória, na fartura ou na escassez.
Não devemos em hipótese alguma abrir mão do nosso Deus.

Deus abençoe sua vida!


Pastor Luciano Silveira 

PALAVRA DE VIDA