MENU

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Palavra da Cruz 4
Int. Há muitos salmos de lamento na Bíblia, e a suam maioria foram escritos por poetas, homens cheios da presença de Deus que tinham muita habilidade com as palavras.

Grandes partes destes salmos foram escritos em momentos em que os próprios autores sentiam um aperto na alma, um nó na garganta, uma dor no estômago.
Nessas horas em que o chão parece fugir de debaixo do nosso pé e o teto do universo parece desabar sobre a nossa cabeça.
Muitas vezes sentimo-nos encurralados pelas circunstâncias, num beco sem saída, por isso nos identificamos tanto com o livro de salmos.
Porque muitas vezes não vemos uma luz no fim do túnel nem uma janela de escape. Gememos e choramos. Nessas noites escuras da alma, perguntamos cheios de angústia: "Até quando Senhor?" (Sl.6:3)
Mesmo que você não veja o sinal do favor de Deus ou mesmo que você não sinta seu cuidado, saiba, porém, Deus jamais desampara aqueles que nele esperam. Aquiete-se e saiba que ele é Deus e está no controle da sua vida! (Sl 46)

Mestre, não te importa que pereçamos?"(Mc. 4:38).
Foi a indagação dos seus discípulos apavoradas pela violenta tempestade que enfrentavam.
As ondas agitadas, o vento enfurecido, o barco enchendo-se de água a ponto de quase  afundar  em meia a águas revoltas.
A quarta palavra de Jesus na cruz foi de muita angustia.

C.M. Palavra de Angústia – “Eli, Eli, lemá sabactâni, que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mt 27:46). Este brado de abandono ocorreu no meio das trevas. É ele que nos faz penetrar no mistério do Deus sofredor. O texto sagrado nos diz que, por um ato divino sobrenatural, o sol se escondeu e, durante três horas, as trevas cobriram a terra. Naquelas horas de trevas, Jesus se tornou legalmente culpado por todos os nossos pecados. Pense nisso: legalmente culpado de imoralidade sexual, de impureza e libertinagem, de abuso de menores, de pedofilia, de adultério, de idolatria e feitiçaria, de ódio, de discórdias, de ciúmes, de ira, de egoísmo e inveja, de alcoolismo, de assassinato, de ganância e de coisas semelhantes. Podemos verificar que, de todos os registros de sua vida e ministério, somente neste momento Jesus se refere ao Pai como “Deus”. A mudança de tratamento demonstra a quebra de comunhão entre o Pai e o Filho, e essa era a razão de sua angústia. O abandono do Pai era o gole mais amargo do cálice que Jesus decidiu beber. O clamor de Jesus ecoa pelo universo, e Deus permanece em silêncio. Por quê? O abandono é necessário porque a santidade Deus não poderia conviver com os pecados do mundo, que agora estavam sobre os ombros de Jesus. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Isaías 53:6
Era necessário pagar o preço pelo pecado, Jesus não retrocedeu, não abriu mão de mim e de você, assumiu toda nossa culpa e pagou um preço muito caro.
-O pecado nos afasta de Deus. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. Isaías 59:2.
Este afastamento da presença de Deus produz sofrimento, leva a pessoa viver na derrota, angustia, depressão, num lar destruído, uma vida miserável e etc.
Jesus veio para nos aproximar de Deus novamente e nos dar o alivio necessário para uma vida feliz. Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Mateus 11:28

C. O preço foi pago e foi nos dado a oportunidade de viver uma vida com Deus que é incomparavelmente melhor do tudo.

Decida hoje viver com Jesus!

Deus abençoe sua vida!

PAstor Luciano Silveira

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Palavras da Cruz-2


Palavra de Perdão
“Pai perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23:34). Esta oração é feita por Jesus em um momento de grande crise sob o ponto de vista humano. Do ponto de vista de Deus era um passo fundamental no cumprimento de seu plano, para resgate da humanidade. Considerando o contexto desta oração é possível destacar alguns pontos:
Ela é o cumprimento da promessa de que o filho de Deus seria crucificado com pecadores (Is 53:12);
Neste momento Jesus expõe publicamente o pecado dos judeus e ressalta que eles estão agindo por ignorância;
Jesus dá o exemplo de que devemos interceder pelos nossos inimigos diante de Deus. A intercessão era um habito na vida de Jesus. Os textos abaixo mostram por quem Ele intercedeu:
Pelos pecadores – Is 53:12
Pelos crentes fracos – Lc 22:32
Pelos inimigos – Lc 23:34
Para envio do Consolador – Jo 14:16
Especialmente pela igreja – Jo 17:9
Em uma manifestação de profunda compaixão e amor pela humanidade Jesus nos ensina que devemos retribuir o mal com o bem.
C.M.  Quem no ápice da sua dor poderia ter uma atitude tão nobre, se esquecer de sua dor e liberar perdão ao seus carrascos?
Jesus com esta atitude nobre que foge do nosso entendimento nos ensina algumas verdades fundamentais para vivermos uma vida de vitória.
1-Se Jesus foi capaz de no ápice de sua dor perdoar seus carrascos ele esta nos ensinando que todos podem usufruir de seu perdão.
Por mais pecador que alguém seja, mediante o arrependimento sincero podemos usufruir do seu perdão.
Quando recebemos o perdão de Deus significa que estamos sendo libertos do fardo do pecado, de suas consequências danosas na vida do ser humano. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor. Romanos 6:23.
Quando Jesus nos perdoa dos pecados ele esta nos colocando diante de Deus, nos reconciliando com ele novamente. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. Isaías 59:2.

2- O segundo ponto a ser destacado é que se Jesus nos perdoou precisamos perdoar também.
Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete. Mateus 18:22
Jesus falou do perdão e viveu perdoando porque? Porque Jesus sabia dos males que a falta do perdão trás para a vida de uma pessoa.
 Quando não se perdoa, vive-se aprisionado, suscetíveis doenças psíquicas e há uma vida de rancor.
Estudos comprovam que a falta de perdão pode desencadear em doenças emocionais e físicas como depressão, dores musculares, hipertensão e até câncer.
A psicóloga Christianne Paiva Fagundes confirma essa informação - resultado de vários estudos - e conta que já acompanhou casos de pacientes com tumor e que, após a psicoterapia, recuperaram a saúde.   
Quando Jesus nos manda perdoar esta nos protegendo de sofrimento, dores pelas quais não queremos passar e nem tampouco Jesus quer que passemos.
O primeiro a se beneficiar do perdão é quem libera o perdão, porque neste momento ele mesmo tirar um peso horrível de seus ombros.
Por isso Jesus mesmo em meios a dores horríveis preferiu perdoar e permitir que sua alma continuasse livre das mazelas da psique.

C. Este é talvez o momento para uma profunda reflexão para saber se não estamos armazenado em nossa alma algum tipo de rancor, mágoa, ressentimento.
Se isto for diagnosticado por você, livre-se deste fardo, você não precisa dele.
Lembre-se que Jesus já levou sobre si  nossos fardos. Is. 53.
Deus tem o melhor para sua vida tome posse e seja livre em nome de Jesus.

Deus abençoe sua vida!
Pastor Luciano Silveira

sexta-feira, 4 de julho de 2014

De onde vem a nossa Vitória

 1Cr. 20

Int. Uma das passagens bastante discutida é esta, quando Davi levanta o censo para saber qual era de fato o número de seu exército.
A dificuldade se da porque em 2 Samuel capitulo vinte e quatro a mesma passagem aparece.
Enquanto em Crônicas a bíblia diz que satanás incitou a Davi, no livro de Samuel diz que foi Deus.
Para mim não há dificuldade em entender tal palavra. Creio que em Samuel faltou alguma palavra na tradução, porque como diz em Tiago que Deus a ninguém tenta. Tiago 1:13  Quando alguém for tentado, não diga: “Esta tentação vem de Deus.” Pois Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo não tenta ninguém.

C.M. Pois bem, sendo assim Deus permitiu que satanás incitasse a Davi para levantar o censo porque o povo de Israel tinha provocado a ira de Deus.
Mas o que podemos de fato aprender neste texto?
Davi foi sem dúvida o rei mais vencedor de Israel, suas conquistas lhe renderam fama, prestígio e muito poder.
Tudo isto porque em seus escritos nos salmos ele deixa muito claro que sua confiança esta em Deus, que a sua vitória vinha da parte do Senhor todo poderoso. Salmos 20:7  Alguns confiam nos seus carros de guerra, e outros, nos seus cavalos, mas nós confiamos no poder do SENHOR, nosso Deus.
Enquanto Davi creu e viveu na dependência de Deus tudo conspirou a seu favor, porem quando as muitas vitórias que Deus lhe concedeu começou a dar a ele uma certa confiança em seu próprio braço as coisas mudaram.
Assim procedeu o seu exército também, começou um certo sentimento de auto suficiência.
E quando o povo começa a sentir-se capaz , Deus então permiti algumas situações para nós não esqueçamos de onde vem a nossa vitória.

Joabe tentou persuadir o rei mas este não deu ouvidos e continuou com seu intento, afinal Deus permitiu satanás encher seu coração de auto suficiência.
Confiar em números é muito perigoso, Gideão venceu um exercito de milhares com apenas trezentos homens, Josafá venceu três nações sem precisar puxar a espada.
Por esta razão Joabe falou a Davi e disse: Multiplique o senhor cem vezes mais; porventura, ó rei, meu Senhor, não são todos seus servos? Porque isto? Porque trazer este mal sobre Israel?

As consequências de confiar no braço de carne.

1-      Tudo isto desagradou o Senhor Deus, pelo que feriu  a Israel 21:7: Sem fé é impossível agradar a Deus, nossa atitude deve ser sempre de reconhecer que tudo vem de Deus, e que sem ele não passamos de fracassados.
É muito comum após muitas vitórias termos a mesma sensação, eu sou bom, eu posso!
Deus não se agrada desta atitude porque sua glória ele não divide com minguem.

2-A confiança de Davi cai por terra: O poderoso exército de Davi que ele em seu coração se gabava, agora começara a cair por terra.
Deus estava mostrando para ele e para todo o povo de onde vinha sua vitória.
Davi estava confiando demais em seu  poderoso exército, esquecendo que a sua força e sua segurança vinha de Deus.
Muitos tem a mesma atitude hoje em dia, porem quando agimos assim Deus cruzas os braços e nos manda nos virar, afinal de contas somos bom.
Quando alguém falou para Jesus: Bom Mestre... Jesus imediatamente o replicou dizendo: Bom só existe um que é Deus. Não outro bom, só Deus!

3-Todo o povo sofreu: Quando provocamos a ira de Deus acabamos muitas vezes trazendo sofrimento para muitas pessoas.
Tal atitude trouxe maldição sobre o exercito Davi que e sobre, os quais começaram a cair no chão.
Nossa casa geralmente é a primeira a sofrer os danos quando esquecemos que Deus ´´e a nossa fonte de provisão.

C. A maldição só cesso quando Davi reconheceu o seu erro e sacrificou no altar do Senhor.
Talvez você precisa reconhecer não apenas em palavras, mas em atitudes que Deus também é a sua fonte de provisão, da tua vitória...
Talvez todos nós precisamos apontar para Deus e reconhecer que não somos nada sem ele.
Quem sem ele nada podemos fazer, mas não somente palavras, mas que o nosso viver diário venha dizer isto por nós.
Davi levou um golpe muito duro naquele dia, mas aprendeu uma valiosa lição. Salmos 89:8  Ó SENHOR, Deus Todo-Poderoso, não há ninguém que tenha tanto poder como tu! Em todas as coisas, tu és fiel, ó SENHOR!

Deus abençoe sua vida!

Pastor Luciano Silveira

O Que É Adorar

Texto-Base: Jo 4; 23-24 

Segundo Os Dicionários, Adorar É O Mesmo Que Venerar, Reverenciar, Idolatrar, Amar Excessiamente, Cultuar… Por Isso Somente Deus É Digno De Toda Adoração.
 O Que É Adorar A Deus
É Expressar O Que Sentimos, Diante Dele E Dos Homens, Não Apenas Com Palavras, Mas Principalmente Com Ações.

C.M. Algumas maneiras de adoração que a bíblia nos ensina.
 1. Adoração quebrantada e contrita
“O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” (Salmo 51.17)
Quebrantar significa quebrar, amansar, domar, diminuir o vigor ou tirar a energia; debilitar-se, enfraquecer-se.
Quando Deus nos requer um coração quebrantado, ele nos ensina que não podemos adorá-lo enquanto não nos diminuirmos. João Batista diz em uma de suas declarações acerca de Jesus: “É necessário que Ele cresça, e eu diminua”. Deus só é engrandecido na vida de um crente, quando este crente aprende a se diminuir.
Para prestar uma oração quebrantada, precisamos ser sinceros diante de Deus, confessando que não podemos ser nada sem ele. Tudo que conseguimos, tudo que fazemos, todos os nossos sucessos vem dele. Devemos suplicar mais de sua companhia, afinal sem ele, não poderemos sequer acordar vivos amanhã. Muitos se esquecem disso.

2-Cânticos de louvor:

“Pois desde a antigüidade, já nos dias de Davi e de Asafe, havia um chefe dos cantores, e havia cânticos de louvor e de ação de graça a Deus.” (Neemias 12.46)
Louvor é adoração e exaltação. O cristão precisa adorar a Deus, separando momentos especiais para declarar as suas grandezas. Elogiar ao senhor. Todo pai gosta de ser elogiado por seus filhos, toda criatura deve elogiar a o criador.
A bíblia esta cheia de passagens que demonstram pessoas adorando através de cânticos.
O livro de Salmos por exemplo é basicamente um livro com letras de musicas que eram entoados  a Deus.
Nessas letras Deus adorado, engrandecido, exaltado por suas vitórias concedida ao seu povo.

3. Adoração com ofertas e dízimos

“Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas, e entrai nos seus átrios.” (Salmo 96.8)

Estude todo o salmo 96. É maravilhoso e completo o convite do salmista, para o povo adorar a Deus. Porém neste versículo 8, o salmista é claro em suas palavras. A igreja deve adorar a Deus mexendo com um dos maiores “ídolos” já existente em toda a humanidade – o dinheiro.

Um adorador verdadeiro precisa ser liberal. Não pode estar amarrado ao materialismo e aos bens deste mundo. O verdadeiro adorador deve ser capaz de repetir as sábias palavras de Jó:

“Então Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a sua cabeça e, lançando-se em terra, adorou; e disse: Nu saí do ventre de minha mãe, e nu tornarei para lá. O Senhor deu, e o Senhor tirou; bendito seja o nome do Senhor. Em tudo isso Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.” (Jó 1.20-22)

Jó entendia que nada levaria desta terra. O cristão que não entrega os dízimos e as ofertas a Deus, não está pronto para adorar. Absolutamente, não está preparado. Muitos cristões são “uma bênção” dentro da igreja, mas são idólatras, avarentos. Idolatram seu dinheiro, seu dízimo, seus bens.
Conforme está escrito:Espalhou, deu aos pobres;a sua justiça permanece para sempre.
Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça;
Para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se dêem graças a Deus. 2 Coríntios 9:9-11

4- Em Espirito e em Verdade: Isto consiste mudança de vida, mudança de atitude.
Temos a responsabilidade  de ser exemplo para outros, de mostrar o amor de Cristo.
O apóstolo Paulo descreve perfeitamente a verdadeira adoração em Romanos 12:1-2: “Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Anunciando a Cristo: Quando a mulher Samaritana entendeu o que era adoração, imediatamente começou a adorar.
Sai rapidamente da presença de Jesus e foi anunciar em sua cidade a respeito de um homem chamado Jesus que e era o salvador do mundo.
E nisto vieram os seus discípulos, e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher; todavia nenhum lhe disse: Que perguntas? ou: Por que falas com ela? João 4:27
Não é de admirar porque os discípulos ficaram admirados porque Jesus estava falando com uma mulher samaritana?
Isto na verdade demonstra que eles não tinham entendido o que era a verdadeira adoração ainda.
 Se estavam admirados é porque não praticavam evangelismo com pessoas diferentes.
Quando isto acontece  é uma lastima, porque somos chamados para adorar, e o pai procura estes verdadeiros adoradores.

C. Cabe aqui uma reflexão, como esta nossa vida de adorador?  Deus se agrada da nossa adoração? Estamos adorando em Espirito e Verdade?

Deus abençoe sua vida!


Pastor Luciano Silveira

PALAVRA DE VIDA